Traumatologia e Ortopedia
Discussão de casos, questões e dúvidas em tratamentos, com dicas de prova para o TEOT.

 

 
Search

 Fratura-luxação de Lisfranc 
Fratura-luxação de Lisfranc
ossos do tarso e antepé ...

EPIDEMIOLOGIA
- Adultos jovens

MECANISMO DE TRAUMA
- solicitação longitudinal do pé plantarmente flexionado-ROMPE PRIMEIRO LIGS DORSAIS, DEPOIS plantares
-traumas de alta energia, carga axial descendo escadas. Estribo de moto e cavalo.

ANATOMIA
- Transição do médio-pé e ante-pé.
- 3 cunhas e cuboide para metas. Ligamentos plantares são mais fortes. Não há ligamento entre o segundo e o primeiro meta.
- Ligamento de Lisfranc = Cunha medial plantar para base do 2o meta.
- 2o e 3o meta tem forma triangular na base, demais são quadriláteros. Quinto raio é o mais móvel depois o primeiro, demais são mais fixos sendo o 2 fixo devido a sua conformação óssea entre as cunhas (cunha intermédia mais curta).

CLASSIFICAÇÃO
- Quenu-Kuss, modificada por Hardcastle:
--> I – Homolateral (medial e lateral); II – Isoladas (1 ou 2 metas); III – Divergentes
- OTA: Impossível
- Myerson:
--> A - incongruência total em qq plano ou direção
--> B1- Incongruência parcial que afeta o raio medial isoladamente
--> B2 - Inc. Parcial que afetas metas laterais em qq direção ou plano
--> C1- Padrão divergente com primeiro meta deslocado medial e metas laterais deslocados em outro padrão com incongruência parcial
--> C2 - Padrão divergente com incongruência toal.

QUADRO CLÍNICO
- Dor, Edema, alargamento do ante-pé pode estar presente.

EXAMES
- Rx AP, Perfil (com carga) e oblíquo medial a 30º
- até 20% das lesões passa despercebida no início
- RX oblíquo: relação da borda medial do 4o com borda medial cuboide e da borda medial do terceiro com cunha lateral
- indicadores mais consistentes: 2 no AP e 4 na O
- Se não suportar carga, fazer stress (adução e abdução, pro e supinação) com analgesia.
- Desvios: maiores do que 2mm

TRATAMENTO NÃO OPERATÓRIO
- Menos do que 2 mm de desvio, sem evidência de instabilidade no perfil com carga.
- Gesso suropodálico por 6 semanas.
- Rx de stress controle com 10 dias. Teste progressivo quanto à tolerância de carga até que seja indolor (ponta do pé monopodálico é bom sinal)

TRATAMENTO OPERATÓRIO
-incisão: entre 1 e 2 / sobre o 4
- mais de 2mm desvio
- Redução aberta tem melhor resultado (mas pode-se tentar primeiro fechada)
- Usar parafusos segundo o AAOS. Rockwood usa fios ou parafusos (preferência: parafusos nas centrais e FK nas lat)
- Ordem de fixação: 2o, 3o, 4º, 5º, 1º

PÓS-OPERATÓRIO
- sem apoio de peso por 6 a 8 semanas, depois apoio progressivo com gesso, retirar gesso assim que pcte apoiar totalmente sem dor
- RMS: FK-6sem(ou 3-6meses) / parafusos:3-6meses

COMPLICAÇÕES
- Clássica é artrose.
- Sd. Compartimental.




-Os bloqueios mecânicos que dificultam a redução incluem a impactação das superfícies articulares, a interposição do tibial anterior entre o 1º e 2º metatarsos

Para baixar os arquivos de aulas e vídeos e ver as imagens explicativas, acesse os adicionais, clicando aqui.
Author: Dublê
Date: 24/2/2020, 09:33
Tipo do Texto: Trauma
Category: Pé e tornozelo
Veja os adicionais: 2 - Escreva um comentário
Views: 6455

Jump to:   


 

A página foi atualizada para www.TraumatologiaeOrtopedia.com.br => plataforma mais moderna, com mais interação. Todos os artigos e arquivos foram renovados. Os usuários agora podem:
- Atualizar os artigos;
- Promover seus consultórios;
- Criar grupos privados para sua residência ou liga de medicina;
- Treinar com questões e avaliar sua performance;
- E muito mais, confira, participe e contribua.
Espero que continuem curtindo, do autor: Ortopedista Especialista em Joelho Dr. Márcio Silveira

 

Mapa do Site    FAQ    Crie um site como este

Copyright © 2012 - 2020 TraumatologiaeOrtopedia.com | Desenvolvido em phpBB

Search: