Traumatologia e Ortopedia
Discussão de casos, questões e dúvidas em tratamentos, com dicas de prova para o TEOT.

 

 
Search

 Introdução na oncologia ortopédica 
Introdução na oncologia ortopédica
Príncipios de propedêutica e estadiamento ...

ABORDAGEM INICIAL DA LESÃO TUMORAL

Tumores músculo-esqueléticos primários são raros. Porém, a sobrevida do paciente depende grandemente ao estágio que a doença é descoberta. Uma descoberta precoce pode ser a linha divisória entre a vida e a morte e entre a amputação e a preservação do membro. Assim, uma lesão tumoral deve sempre estar entre as suspeitas diagnósticas.
Os tumores ortopédicos aparecem sintomaticamente como uma ou mais destas apresentações clínicas: dor, edema, achado ocasional em exames de imagem ou fratura patológica. Cada ponto deve ser minimamente avaliado.
A dor deve ser avaliada quanto ao seu caráter: mecânica (piora com movimento), contínua, pior durante a noite, período de tempo.
Quanto ao edema ou à tumoração evidente deve-se questionar o período de aparecimento e associação com trauma local, além de avaliar a consistência da massa: pétrea, fibrosa, etc.
Nos achados ocasionais em exames de imagem deve-se verificar por que o exame foi pedido e sintomas prévios ao exame.
A fratura patológica é um evento que envolve dor e preocupação de pais. Avaliar sintomas prévios, mecanismo de fratura e características da mesma.
Observação criteriosa também deve ser feita quanto á idade, sexo e raça do paciente, pois alguns tumores ocorrem em certas épocas da vida, alguns são raros em negros e amarelos e outros possuem diferenças quanto ao sexo.
O exame físico é muito importante para avaliar-se o tamanho da lesão, a consistência, como já dito e as possíveis alterações tanto neurológicas quanto sistêmicas.


Testes laboratoriais são usados, sendo muitos contribuintes para ajudar no diagnóstico: fosfatase alcalina (osteossarcoma), desidrogenase lática (PNET), VHS e PCR (infecções), PSA (metástases de carcinoma de próstata), etc.
Nos exames de imagem a radiografia simples deve ser o marco inicial e muitas vezes é o exame que mais nos dá informações. Devemos nos lembrar das perguntas de Enneking: “Onde está a lesão no osso?” (epífise, metáfise ou diáfise), “O que a lesão faz com o osso?”, “Como o osso normal responde à lesão?”, “Algo sugere algum tipo histológico específico?”.
A tomografia computadorizada é um bom método para a avaliação do comprometimento cortical e de outros detalhes ósseos. Auxilia também na avaliação da ossificação e da calcificação da matriz. È o exame padrão ouro para avaliar a presença de metástases pulmonares.
A ressonância magnética é o melhor método para avaliar a extensão intra e extramedular do um tumor ósseo. Ótimo exame para avaliar as partes moles.
A cintilografia óssea é um bom método para avaliar também de certa forma o tamanho e extensão do tumor, mas principalmente para verificar a presença de metástases, como as metástases saltitantes.
Outros exames como a arteriografia e a ultra-sonografia são menos usados, mas podem ter espaço no estadiamento das lesões. A arteriografia pode avaliar a condição dos plexos vasculares e ser útil também para avaliar a resposta do tumor á quimioterapia (diminuição da vascularidade).
Só após uma perfeita investigação e um bom estadiamento, com algumas hipóteses diagnósticas deve-se pensar ou não em biópsia. Esta deve, de preferência, ser feita por profissional especialista em oncologia ortopédica e pelo profissional que irá dar seguimento ao tratamento do paciente.


“Descrição Radiológica dos Tumores”

Localização: http://traumatologiaeortopedia.com/album_showpage.php?pic_id=32

1 – Lesão: Solitária;
Múltipla ou disseminada;

2 – Qual osso comprometido;

3 – Segmento ósseo: Epífise;
Metáfise;
Diáfise;

4 – Local no osso: Central;
Excêntrica;
Cortical;
Subperiosteal;

5 – Reação do osso à lesão: Rarefação (lise);
Condesação (esclerose);
Rarefação/condensação;

6 – Limites da lesão: Precisos;
Imprecisos;

7 – Comprometimento Cortical:
Insufladaremodelação;
Periostealinterrompida;

8 – Reação Periosteal:
Ausente / presente;
Lamelar sólida / espicular  fina;

9 – Massa tumoral extra-cortical: Ausente; Presente.

Posted image may have been reduced in size. Click image to view fullscreen.

Posted image may have been reduced in size. Click image to view fullscreen.


Para baixar os arquivos de aulas e vídeos e ver as imagens explicativas, acesse os adicionais, clicando aqui.
Author: marcio
Date: 24/2/2020, 10:29
Tipo do Texto: Conceito básico
Category: Tumor e osteometabólicas
Veja os adicionais: 3 - Escreva um comentário
Views: 3989

Jump to:   


 

A página foi atualizada para www.TraumatologiaeOrtopedia.com.br => plataforma mais moderna, com mais interação. Todos os artigos e arquivos foram renovados. Os usuários agora podem:
- Atualizar os artigos;
- Promover seus consultórios;
- Criar grupos privados para sua residência ou liga de medicina;
- Treinar com questões e avaliar sua performance;
- E muito mais, confira, participe e contribua.
Espero que continuem curtindo, do autor: Ortopedista Especialista em Joelho Dr. Márcio Silveira

 

Mapa do Site    FAQ    Crie um site como este

Copyright © 2012 - 2020 TraumatologiaeOrtopedia.com | Desenvolvido em phpBB

Search: