Traumatologia e Ortopedia
Discussão de casos, questões e dúvidas em tratamentos, com dicas de prova para o TEOT.

 

 
Search

 Metástases ósseas 
Metástases ósseas
Principais tumores ...

Definição: são as formas mais comuns de lesão óssea maligna, e todo tumor maligno pode produzir metástase óssea



Epidemiologia: acomete H e M, normalmente acima de 40 anos.



Etiologia:
- mais comum são, em ordem: mama, próstata, pulmão, rim, tireóide e trato gastrointestinal

-TU primário de origem desconhecida, mais comum é pulmão e rim

* meta pulmão: lesão DISTAL ao cotovelo e joelho, aspecto de mordida da cortical, Fxs patológicas ocorrem na fase terminal da doença (provavelmente já tem meta em outros lugares)

. Ordem de freqüência: 1ovértebra, 2ocostela, 3opelve, 4ofêmur proximal.


Quadro Clínico: dor e o pp, no início causada pelo crescimento do tumor, que é substituída por dor de caráter mecânico, e depois por fratura. O aumento de volume e raro. Sinais sistêmicos são raramente observados, sendo os mais comuns decorrente da hipercalcemia. Pode haver aumento da reabsorção tubular de cálcio e lise óssea.


Imagem: RX e cintilo=> fazer rx em locais de cintilo +.
Desses, ate 20% não se acha o sitio primário.
RNM: na coluna.
Biópsia: lesões únicas ou em caso de dúvidas diagnosticas.

Diagnóscico Diferencial: Mieloma multiplo (importante pois tem tratamento ortopedico e oncologico totalmente diferente).
Apresentação:
- mama: blástica
- próstata: blástica
- pulmão: mista
- rim: lítica
- tireóide: lítica



Tratamento:

Clínico: quimio, hormonioterapia (mama e próstata), iodo radioativo (tireóide), estrôncio 22 e seletivo p/ tecido ósseo (importante na sobrevida global),
bifosfonados: inibem a reabsorção óssea pelos osteoclástos (estudos sugerem que tumores tem mais dificuldade em se implantar em tecidos previamente tratados com bifosfonados, sugerindo uma prevenção).
RT: diminui ou retira a dor nas lesões, diminui o tamanho e extensao para partes moles: em lesão óssea metastática c/ compressão medular, a dor diminui muito e os sintomas podem desaparecer c/ a RT. Utilizada também no pos op de ressecção de tumores e colocação de endoproteses, diminuindo a recidiva e a pseudoartrose.

Cirúrgico ortopédico: Não se deve esperar consolidação da fx, muitas vezes se usa o cimento p/reabilitação + rápida. Ca pulmão, colon e melanoma:consolidação ruim.

COLUNA: cirúrgico se: crescimento do tu mesmo após RT, compressão medular com mielopatia, instabilidade vertebral c/ dor mecânica intratável, radiculopatia com sintomas progressivos e incontroláveis, fx luxação da coluna. Geralmente a descompressão e via anterior (onde se localiza a lesão) + instrumentação posterior com pediculados. As vezes precisa fazer fixação anterior.
COSTELA: geralmente não causa muita dor, e são tratadas pelo cirurgião de
tórax.
PELVE: sempre fazer CT p/ ver comprometimento da parede medial e teto do acetábulo, se não houver, o tratamento é conservador. Com comprometimento acetabular: embolizacao preoperatoria p/ diminuir a perda sguinea e preferenciamente fazer PTQ com cimento. Outra opção (alto risco): fazer a prótese em sela, componente acetabular metálico após ressecção marginal.


LESOES DE OSSOS LONGOS:
cirurgia profilática: classificação de MIRELS: http://traumatologiaeortopedia.com/album_showpage.php?pic_id=38


4 a 7 pontos: conservador pois dificilmente evoluirão com fx patológica.
8 a 12 pontos: cirúrgico, pois tem alta probabilidade de fraturar

Se indicação cirúrgica: pode fazer fixação profilática, nem sempre precisa ressecar a lesão.
pode fazer a osteossíntese c/ ou s/ cimento, ou substituição por endoprótese não convencional (principalmente se houver acometimento ósseo com grande destruição óssea, como no fêmur proximal, onde um implante de fixação não ira permitir a deambulação). Carcinoma de tireóide: bom prognostico, deve-se preferir ressecar e colocar endoprotese do que fazer fixação profilática.
Se já houver fx patológica: tratamento cirúrgico é a regra, com exceção de mieloma múltiplo nos membros inferiores que melhora com tratamento sistêmico.
O tratamento cirúrgico deve iniciar o mais cedo possível p/ evitar complicações do paciente estar acamado, carga imediata.
Nos tumores primários o tratamento deve ser mais agressivo
Radioterapia geralmente é feita no campo operatório inteiro, começando 3 semanas após a cirurgia, se a ferida estiver cicatrizada.

Complicações: recidiva do tumor é a mais temida. Outras complicações decorrentes do tratamento cirúrgico, quimio, rádio e hormonioterapia.
Fratura patológica, principalmente dos membros inferiores


Para baixar os arquivos de aulas e vídeos e ver as imagens explicativas, acesse os adicionais, clicando aqui.
Author: Dublê
Date: 24/2/2020, 10:29
Tipo do Texto: Adulto
Category: Tumor e osteometabólicas
Veja os adicionais: 2 - Escreva um comentário
Views: 4725

Jump to:   


 

A página foi atualizada para www.TraumatologiaeOrtopedia.com.br => plataforma mais moderna, com mais interação. Todos os artigos e arquivos foram renovados. Os usuários agora podem:
- Atualizar os artigos;
- Promover seus consultórios;
- Criar grupos privados para sua residência ou liga de medicina;
- Treinar com questões e avaliar sua performance;
- E muito mais, confira, participe e contribua.
Espero que continuem curtindo, do autor: Ortopedista Especialista em Joelho Dr. Márcio Silveira

 

Mapa do Site    FAQ    Crie um site como este

Copyright © 2012 - 2020 TraumatologiaeOrtopedia.com | Desenvolvido em phpBB

Search: