Traumatologia e Ortopedia
Discussão de casos, questões e dúvidas em tratamentos, com dicas de prova para o TEOT.

 
[KB] Pé Tálus Vertical


Users browsing this topic: 0 Registered, 0 Hidden and 0 Guests
Registered Users: None


View previous topic Tell A FriendPrintable versionDownload TopicPrivate MessagesRefresh page View next topic
Message
Author
marcio
Administrador
Administrador

marcio is offline

[KB] Pé Tálus Vertical
Reply to topic Reply with quote
Go to the bottom
PostPosted: 3/4/2014, 22:07 Rate Post

Category: Pediátrica (6)
Article Type: Deformidades congênitas

Article Name: Pé Tálus Vertical
Author: Dublê
Description: Tálus Vertical Congênito – Pé Valgo Convexo Congênito, metatarsus aductus, hálux varo,

Read Full Article
Back to top Personal Gallery of marcio
Author
Dublê


Dublê is offline

Re: [KB] Pé Tálus Vertical
Reply to topic Reply with quote
Go to the bottom
PostPosted: 3/4/2014, 22:09 Rate Post

 !  Para baixar todos os arquivos e apresentações e visualizar todas as imagens, registre-se e entre, é rápido e grátis.


< Deixe uma observação pertinente clicando no botão resposta ou clique no botão agradecer caso o tópico tenha sido útil. >





Resumo Pé Tálus Vertical para prova oral

Raro, sem predileção por sexo, 50% bilateral, e metade está associado a outras mal-formações
Deformidade grave, progressiva, rígida, irrredutível, dolorosa, não funcional
Convexidade plantar rídiga (mata-borrão); Retropé equinovalgo; Dorsiflexão-abdução antepé; Contratura fibulares – extensores; Encurtamento da coluna lateral; Alongamento da coluna medial; Luxação talo-navicular; Deformidade talus-calcaneo; Subluxação calcaneocuboídea (Casos mais graves); Alterações ligamentares – músculos – tendões
RX: Tálus vertical; Equinismo calcâneo; Aumento do ângulo Talo-calcaneo; Abduçào do antepé; Subluxação dorsal cubóide; Luxação talonavicular; Tálus “Ampulheta”
TRATAMENTO:
Conservador (Ineficaz?): Manipulação + Gesso Seriado (PONSETI invertido); Facilita o tratamento cirúrgico; 3-8 meses
Cirúrcico: Mais precoce possível; Após trocas gessadas; Idade determina a escolha da técnica
Técnicas: Liberação peri-talar; Astragalectomia (evitar); Naviculectomia; Trasferência tibial anterior; Artrodese tríplice
< 2-3 anos: Liberação peri-talar
>2-3 anos: Liberação peritalar + Encurtamento coluna medial (naviculectomia) + Alongamento da coluna lateral + Hemitrasf. Tibial ant.
Adolescentes/Adultos: Atrodese tríplice
Complicações: Recidiva (+ comum, 40%); Necrose assepstica (autolimitada); Hipercorreção (10%)




Pé metatarso aduto ou metatarso varo
- Desvio medial do antepé com relação ao retropé ou adução do antepé
- Alinhamento neutro ou em valgo do retropé
- Deformidade congênita mais comum
- Gravidade da deformidade não tem relação com prognóstico
- Alta taxa de resolução espontânea
- 1:000; freqüência maior em gêmeos e meninas
- Teoria que ocorre pelo posicionamento intra útero
- Frequência ↓ em prematuros
- Teoria de desbalanço muscular pela contratura e inserção anômala do tibial anterior ou posterior
- Diferença entre pé metatarso aduto e metatarso varo: feita por alguns autores
- Metatarso aduto: deformidade exclusiva em adução do antepé
- Metatarso-varo: deformidade mais complexa e mais rara
- Adução do antepé acompanhada de valgismo do retropé com subluxação medial da talonavicular
- Diagnóstico diferencial
- Pé torto congênito: apresenta varismo do retropé e equino do calcâneo
- Eixo longo do calcâneo e tálus tende a convergência (ocorre o oposto no pé metatarso varo)
- Exame físico
- Adução dos metatarsos:
- Cria borda medial côncava e borda lateral convexa com proeminência na base do 5º MTT
- Grau variável de supinação do ante pé
- Retropé neutro ou com desvio leve em valgo - Mobilidade normal da subtalar e tornozelo
- Pé em serpentina (skewfoot): deformidade intensa de adução do antepé, associada a translação lateral do mediopé e valgismo do retropé
- RX não é necessário ou indicado
- Somente para crianças mais velhas ou adolescentes com doença residual grave, dor ou impotência funcional, quando houver planejamento cirúrgico
- Classificação
- Quanto à flexibilidade: útil para escolha do tratamento
- Grupo I: correção passiva além do neutro e ativa até neutro
- Grupo II: correção passiva até neutro com pouca correção ativa
- Grupo III: deformidade rígida
- Quanto ao grau de deformidade: linha que passa pela borda interna do calcanhar
- Normal: linha passa pelo hálux
- Discreta: passa entre o hálux e o 2º dedo - Moderada: passa no 2º dedo
- Grave: passa além do 2º dedo
- Tratamento conservador
- Observação: resolução espontânea pode ocorrer até os 4 anos de idade
- Ocorre em todos os pés flexíveis
- Manipulação mais gesso: para pés pouco flexíveis
- Correção em 90% dos casos
- Deve ser iniciado o mais precoce o possível - bons resultados até 12 meses de idade
- Cuidado para evitar excesso de estresse em valgo no retro pé
- Tratamento cirúrgico: raramente indicado
- Entre 1 e 2 anos: tenotomia do abdutor do hálux e capsulotomia medial da cuneometatarsal
- Procedimentos ósseos: para crianças mais velhas e com deformidades mais resistentes
- McHale e Lenhart: > 4 anos
- Osteotomia dupla com retirada de cunha do cubóide e adição no 1º cuneiforme
- Osteotomia das bases dos 5 MTTs
- > 6-8 anos para deformidades recidivadas ou muito acentuadas
- Risco de lesão da placa fisária que fica na base do 1º MTT

Pé metatarso aduto plano
- Alteração funcional associada a deformidade em valgo do retro pé
- Causa desconhecida
- Pode ser criado em um pé com metatarso aduto aplicando pressão de abdução ao ante pé sem estabilizar o retro pé
- Diagnóstico diferencial: pé metatarso aduto
- Complicações
- Calo sobre a cabeça do tálus e na base do 5º MTT
- Dor na calosidade do tálus quando associado a contratura do Aquiles
- Tratamento
- Conservador: observação ou manipulação com gesso
- Cirúrgico: quando tratamento conservador não consegue aliviar a dor e calosidades
- Técnicas
- Capsulotomias tarso metatársicas
- Osteotomias na base dos metatarsos para corrigir o ante pé
- Artrodese subtalar ou tripla para correção do retro pé
Last edited by marcio on 2/8/2015, 22:19; edited 6 times in total
Back to top
Author
marcio
Administrador
Administrador

marcio is offline

Re: [KB] Pé Tálus Vertical
Reply to topic Reply with quote
Go to the bottom
PostPosted: 16/4/2014, 19:14 Rate Post

Resumo para prova oral

PÉ CAVO-VARO

DEFINÇÃO:É uma deformidade complexa caracterizada pela elevação exagerada do arco longitudinal devido a flexão plantar rigida do 1º MTT, adução do antepé e garra dos dedos.
DEFORMIDADES: EQUINO DO ANTEPÉ E 1º MTT, ADUÇÃO DO ANTEPÉ, PRONAÇÃO DO ANTEPÉ EM RELAÇÃO AO RETROPÉ, GARRA DOS DEDOS, VARO DO RETROPÉ.
Etiologia principal: charcot-marie, seq. Trauma, polio, MMC, medula presa
Mais comum em homens, menos comum e mais sintomatico que o pé plano
Fisiopatologia ver alula!!!!
Sintomas: metatarsalgia, deformidade, garra pé diminuindo
Rx: alinhamento 1ºMTT-talus, ângulo calcaneo-solo, ângulo COSTA-BERTANI nl 130º esta diminuido, aumento do Pitch
Diagnóstico de charcot: ENMG + antecedentes
Tto: nas crianças palmilha não operar que resultados ruins
Nos adultos se há artrose artrodese indicada se não e com teste de colemann há mobilidade pode ser feita correções com osteotomia Dweyer ou cunhas dorsais para elevação. Somente nos adultos




DEFORMIDADES POSTURAIS DO PÉ

I – GENERALIDADES :

Por definição são fetopatias NÃO teratológicas que se desenvolve no período pós embrionário após a organogênese, isto é , é uma deformação de um membro normalmente formado devido á posição não natural do feto humano no útero. Já as malformações congênitas são defeitos que se originam no período da organogênese e portanto são embriopatias teratológicas.
A postura fetal humana é dependente do desenvolvimento sequencial da função neuromuscular feita no sentido crânio-caudal. Portanto á medida que os grupos musculares vão sendo inervados o MMII vai assumindo sequencialmente diferentes posturas até chegar por volta da 26º á 40º semana na posição de flexão-rotaçãomedial-adução do quadril c/ flexão do joelho e flexão plantar do pé.
As deformidades posturais do pé são : talipes valgus, metatarsus adductus e pé torto postural

II – PÉ CALCANEOVALGO :
- Dorsoflexão e eversão do pé inteiro, ás vezes o dorso do pé pode tocar na face anterior da tíbia
- É a deformidade mais comum do pé vista ao nascimento, sendo mais comum em meninas
- Os tecidos moles do dorso e da face lateral do pé estão contraídos e limitam a flexão plantar
- Não há alteração óssea , subluxação ou luxação dos ossos do tarso diferenciando-o do talus vertical( pé plano valgo convexo).

- O tratamento varia de acordo com a gravidade do caso mas o prognóstico é bom :
brando: o pé pode ser fletido plantarmente e invertido além da posição neutra, nestes casos não necessitam de tratamento, pois c/ 03 á 06 meses o pé retoma espontaneamente o alinhamento
moderado: dificuldade p/ fleti-lo e inverte-lo plantarmente além da posição neutra, nestes casos indica-se a manipulação passiva( flexão plantar e inversão do pé por 10 seg ,20 á 30 vezes em 04 sessões diárias )
grave: são resistentes indicando-se a manipulação passiva e retenção em aparelho gessado com o pé em equinovaro. Em 04 á 06 semanas a deformidade estará corrigida .

III - PÉ VARUS POSTURAL :
- Adução e inversão do antepé + inversão do retropé. Porem a amplitude de dorsoflexão do tornozelo e do pé é normal, isto é, não está em flexão plantar.
- Não há alterações estruturais ósseas e a deformidade é flexível
- O tratamento é baseado na manipulação passiva( alongamento p/ posição valga) com retenção em aparelho gessado que é trocado semanalmente. Obtem-se resultado com 02 á 04 semanas. Em casos mais graves após este período utiliza-se tala de polipropileno(noite) e manutenção da manipulação passiva por mais 03 meses

IV – PÉ VALGUS POSTURAL :
- Abdução e eversão do antepé e mediopé c/ retropé em vários graus de eversão. Possui amplitude de dorsoflexão e flexão plantar normal
Tratamento : manipulação passiva e retenção em aparelho gessado por 03 á 06 semanas

V – METATARSO ADUZIDO POSTURAL :
- Adução do antepé com retropé neutro ou ligeiramente valgo. Não há alterações ósseas nem subluxações articulares, diferenciando-o do metatarso varo congênito em que há subluxação medial da articulação tarsometatarsiana caracterizando uma deformidade rígida .
- A correção espontânea ocorre em 03 á 04 meses s/ tratamento. Em caso graves indica-se a manipulação passiva( abdução).


VI – PÉ TORTO POSTURAL :
- O antepé está aduzido e invertido + retropé invertido + flexão plantar do tornozelo
- A deformidade não é rígida e não há alterações articulares nem deformidades ósseas
- O tratamento consiste no alongamento passivo para posição valgo e dorsoflexão com retenção em aparelho gessado
Last edited by marcio on 22/6/2014, 16:18; edited 1 time in total
Back to top Personal Gallery of marcio
Display posts from previous:   
   Board Index
   -> Estudo, temas
View previous topic Tell A FriendPrintable versionDownload TopicPrivate MessagesRefresh page View next topic

Page 1 of 1  [ 3 Posts ]
 


Jump to:   

Similar Topics
Topic Forum Author Replies
No new posts [KB] Fraturas do tálus temas marcio 2

 

A página foi atualizada para www.TraumatologiaeOrtopedia.com.br => plataforma mais moderna, com mais interação. Todos os artigos e arquivos foram renovados. Os usuários agora podem:
- Atualizar os artigos;
- Promover seus consultórios;
- Criar grupos privados para sua residência ou liga de medicina;
- Treinar com questões e avaliar sua performance;
- E muito mais, confira, participe e contribua.
Espero que continuem curtindo, do autor: Ortopedista Especialista em Joelho Dr. Márcio Silveira

 

Mapa do Site    FAQ    Crie um site como este

Copyright © 2012 - 2020 TraumatologiaeOrtopedia.com | Desenvolvido em phpBB

Search: