Traumatologia e Ortopedia

[KB] Tumores ósseos benignos

Author:  marcio [ 4/11/2011, 15:19 ]
Post subject:  [KB] Tumores ósseos benignos

Category: Tumor (5)
Article Type: Conceito básico

Article Name: Tumores ósseos benignos
Author: Dublê
Description: e lesões pseudotumorais

Read Full Article

Author:  marcio [ 28/11/2011, 14:14 ]
Post subject:  Re: [KB] Tumores ósseos benignos

Nenhum método adjuvante, seja rádio ou quimioterapia, deve ser utilizado no tratamento desta ou de outras lesões benignas do esqueleto. Tb não utiliza cimento acrílico.



 !  Para baixar os arquivos de resumos e apresentações e visualizar todas as imagens, registre-se e entre, é rápido e grátis.

  • Apresentações: TUMORES ÓSSEOS BENIGNOS.ppt / Cisto ósseo solitário, cisto ósseo aneurismático, cisto ósseo justa-articular e fibroma n ossificante.ppt / Osteoma Osteóide e Osteoblastoma.pptx / OSTEOCONDROMA.ppt / Histiocitose X, Displasia fibrosa e Miosite ossificante (2).ppt / Tumor Castanho do Hiperparatiroidismo.ppt / Lesões pseudotumorais.ppt / Fibroma Não-Ossificante.ppt / Doença de Von Recklinghausen .ppt
  • Resumo em pdf: osteoma osteóide / cisto ósseo simples / osteocondroma
  • Imagens explicativas: encondroma na mão / lâmina de osteocondroma / Classificação de Brooker
  • Vídeos e artigos

< Deixe uma observação pertinente clicando no botão resposta ou clique no botão agradecer caso o tópico tenha sido útil. >




Cisto ganglionar do osso
- Ocorre tipicamente na extremidade dos ossos longos de homens de meia idade
- Mais comum na tíbia distal e no maléolo medial - Comum também no joelho e ombro
- Defeitos líticos unilobulados ou multilobulados, bem demarcados, com uma borda de osso esclerótico
- Tratamento
- Excisão local e curetagem do osso envolvido - Recorrência é rara

Cisto epidermóide
- Mais comum no crânio
- Geralmente considerados traumáticos - RX: defeito rarefeito rodeado por osso esclerótico
- Pode também ser encontrado nas falanges dos dedos




Tumores de musculatura lisa
- Leiomiomas cutâneos: mais comuns
- 2 tipos:
- origem do músculo eretor do pelo: podem ser múltiplos
- leiomioma genital: geralmente solitários e pouco dolorosos
- Leiomiomas vasculares: localizados no subcutâneo e provoca dor
- Leiomioma dos tecidos moles profundos: são maiores e devem ser ressecados com margem de seguraça
- Diferencial com leiomiosarcoma

Tumores neurais
- Dos ossos são muito raros mas neurilemomas já foram descritos
- RX: lesão lítica discreta
- Microscopia: similar ao neurilemoma do tecido mole
- Neurofibroma: também pode surgir em osso, especialmente na doença de von Recklinghausen
- Neurofibroma solitário
- Se origina do endoneuro  ressecção sem lesão neurológica é difícil
- Os profundos podem sofrer transformação maligna
- Schwannomas
- Ocorre na periferia dos nervos acometidos - Degeneração maligna é rara
- Pode estar associado a neurofibromatose
- Biópsia: indicada quando de nervo motor
- Se ramo pequeno e perifério: excisão simples
- Schwannoma clássico
- Adultos, sem predileção por sexo - Raramente recidiva
- Locais: osso, nervos cranianos ou trato gastrointestinal
- Mais comum no subcutâneo

Tumor vascular
- Hemangioma é o tumor vascular mais comum do osso
- Tipos
- Capilar: pequenos com paredes espessas
- Cavernoso: longos com paredes delgadas
- Maioria (2/3) ocorre no corpo vertebral ou crânio
- RX: lesões líticas multilobuladas
- RNM: aumento de sinal em T1 e T2
- Cintilografia: ↑ de captação em ambas as fases
- Diagnóstico diferencial
- Coluna: Paget e carcinoma metastático
- Requer tratamento somente quando houver risco de compressão neurológica
- Osteólise maciça (doença dos ossos fantasmas) é rara e geralmente acometem crianças e adultos jovens
- Angiomatose cística do osso: doença rara que consiste em lesões ósseas difusas e líticas, associada a alterações anigomatosas de vísceras
- Comum nas costelas
- Linfangioma
- Distúrbio congênito da circulação linfática - Diagnóstico nos primeiros anos de vida
- Lesão de partes moles: raramente há acometimento ósseo
- RX: similar ao hemangioma
- Diferencial: hemangioma, sarcoma de Ewing, metástase de neuroblastoma e osteoporose
- Tratamento cirúrgico: quando lesões grandes, tratamento conservador é difícil
- Linfangiomatose: não há indicação cirúrgica
- Tratamento para prevenção de fraturas e correção de deformidades
- Tumor glômico
- 2ª-3ª década de vida
- Maior parte dos casos nos tecidos moles dos dedos
- Raramente intra-ósseo
- Quase sempre na falange distal
- Quadro clínico: dor intensa e localizada
- Dor é diferente do osteoma osteóide
- É intensa e contínua
- RX: lesão lítica, pequena, central e bem circunscrita, sem reação cortical
- Diferencial: osteoma osteóide
- Tratamento: curetagem
- Degeneração maligna é muito rara

Tumor de gordura
- Lipoma intra-ósseo é raro
- Dor ou edema ou ambos
- Lesão radioluscente incidental ao RX - Biópsia é necessária para confirmar o diagnóstico
- Cura por curetagem e enxerto
- Não há recorrência

Author:  Dublê [ 3/4/2014, 10:00 ]
Post subject:  Re: [KB] Tumores ósseos benignos

Resumo para prova oral

Osteocondroma

Def: Exostose periarticular
Causa : Lesão periférica na fise Loc: metáfise ossos longos
Cl: Massa endurecida periarticular de crescimento lento. Redução de ADM por bloqueio da massa.
Rx: Suficiente para o diagnóstico. Exostose com comunicação da medular com osso de origem.
Class: Séssil – se base larga /Pediculado –se estreita / ùnica ou múltipla ( 10-15 lesões / autossômica dominante)
Prog : Podem crescer até 30 anos, após isso deve-se suspeitar de malignização (condrossarcoma). Mais comum na escápula, pelve e fêmur proximal. Rx anual
Cir: Se compressão neuro-vascular ou muscular crônica. Se muito jovem, risco de lesão da fise


Ossificação Heterotópica (miosite ossificante)

Def: Radiopacidade no psoas ou abdutores
Relação: Espondilite/ Forestier / Quadril
artrodesado/ Artrose hipertrófica ou pós traumática
Causa: ? ressecções , dissecções, isquemia, trauma.
Mais frequente no acesso lateral/ Independe de cimentação
EF: dor leve/limitação variável da adm
TTO: Aines/ Radioterapia/ Excisão
Possibilidade de soltura de implantes


Encondroma

Inf: provavelmente não é neoplasia
Causa : Cartilagem fisária não remodelado ou persistência da cartilagem original pré-óssea
Loc: Falanges(mão) > Fêmur distal > Úmero proximal
Cl: fratura patológica na mão/ assintomáticos
Lab: normal
Tipos: Múltiplo = Ollier(raro) , hemangioma =Maffucci
Rx: suficiente ao diagnóstico. Lesões radiotransparentes metafisárias centrais não insulflativas porém com cortical fina sem reação periosteal margem definida
Tto: não necessário removê-los(rx 6/6m por 2a)
Prog: degeneração maligna rara.
Mais freqüente se múltiplo(Ollier=25%/Maffucci >) na pelve e escápula. Se após 30 anos doer ou crescer = condrossarcoma de baixo grau = ressecção (contra-indicada biópsia incisional) .


Cisto ósseo simples

Def: Lesão cistica intra óssea
Epi : Freqüentes e associadas com fraturas
Loc : 90% no úmero e fêmur proximais. Metafisários.
Macro : Líquido amarelado ou pouco sanguinolento
Causas: parecem surgir da placa
Rx: Suficiente ao diagnóstico. Metáfise calibrosa (<fise) com fina camada óssea marginal não reativa sem reação periosteal
HN : Persiste até adolescência quando ou quebra ou ossifica.
Dd: COA/ Displasia fibrosa
Tto: Prevenção de fratura/ Se risco tratar
Téc: Curetagem + Enxerto/ injeção de corticóide



Fibroma Não Ossificante
(Defeito Fibroso Metafisário ou Xantugranuloma histiocítico)
Definição OMS: “Lesão óssea não neoplásica bem definida, caracterizada essencialmente pelas mesmas características histológicas do histiocitoma fibroso benigno, ou seja, tecido fibroso de células fusiformes, com padrão roda de carroça e contendo um número variável de células gigantes multinucleadas, pigmento de hemossiderina e histiócitos que contêm lipídios (células de xantoma).”
É comum.
Sexo: predomina no sexo masculino.
Idade: maior nas duas primeiras décadas, sendo maior na segunda.
Local: mais comum no fêmur distal e tíbia.
Sintomas: Achado incidental. Dor.Fratura patológica pode ocorrer.
Radiologia: a aparência radiográfica é típica e decisiva para o diagnóstico.
Lesão radiolucente, excêntrica, na metáfise de osso longo, com o crescimento a lesão se distancia da fise. Borda interna bem definida e esclerótica.Raramente tem trabéculas sendo multiloculada.
Anatomia Patológica: Macroscopia: variam em diferentes áreas da lesão, zonas branco acinzentadas, firmes, alternadas por áreas amarelas e frágeis.
Microscopia: tecido fibroso com células fusiformes (padrão roda de carroça). Vêm-se também fibras colágenas alternadas com histiócitos carregados de pigmentos de hemossiderina e lipídios.Células gigantes podem também ser vistas.
Patogênese: desconhecida. Anomalia do desenvolvimento associada a distúrbio vascular?
Hemorragia óssea em fase de absorção e organização?
Tratamento: Pode regredir espontaneamente.
As lesões que acarretariam fraturacuretagem + enxerto.
Transformação Maligna>>>>>RARÍSSIMA.


 

A página foi atualizada para www.TraumatologiaeOrtopedia.com.br => plataforma mais moderna, com mais interação. Todos os artigos e arquivos foram renovados. Os usuários agora podem:
- Atualizar os artigos;
- Promover seus consultórios;
- Criar grupos privados para sua residência ou liga de medicina;
- Treinar com questões e avaliar sua performance;
- E muito mais, confira, participe e contribua.
Espero que continuem curtindo, do autor: Ortopedista Especialista em Joelho Dr. Márcio Silveira

 

Mapa do Site    FAQ    Crie um site como este

Copyright © 2012 - 2020 TraumatologiaeOrtopedia.com | Desenvolvido em phpBB

: